24 de mai de 2016

SITUAÇÃO DOS MATADOUROS DE CURAÇÁ É TEMA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA NA CÂMARA DE VEREADORES

Na manhã dessa segunda-feira (23), aconteceu em Curaçá uma audiência pública que teve como pauta a situação do matadouro da sede do Município, interditado desde o fim do mês de abril, e ainda dos que estão localizados no Distrito de Riacho e no Povoado de Pedra Branca. O Evento foi realizado na Câmara Municipal (CM), reunindo representes dos poderes executivo e legislativo, marchantes e sociedade civil como um todo, além de representantes de instituições: Associação de Defesa Agropecuária da Bahia (ADAB); Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) e do Matadouro Campo Gado de Juazeiro.



A Audiência teve início às 9h30, sob coordenação do Presidente da Câmara de Vereadores, José Henrique, o qual realizou a abertura dos trabalhos e passou a palavra para a mesa, composta por: Maria da Paz (Vereadora); Alexandre Santos (Secretaria de Saúde); o Secretário de Desenvolvimento Rural (SMDR), César Mendonça; o Chefe de Departamento Pecuária da SMDR, Marcos Vinícius Borges; Valtércio Leal (ADAB) e Gustavo Machado (Abatedouro Frigorífico - Campo Gado de Juazeiro). Também estiveram presentes os vereadores: Wanderley Loureiro, Beto Araújo, Deroaldo Franco, Jucileide de Lima, Laerty Tanurio, Greiciane Araújo, Januário Ferreira, Flamber Feitosa e Theodomiro Mendes. Januário ressaltou que Curaçá é referência em caprinos e ovinos. “A situação precisa ser resolvida, pois o Município inteiro perde com o problema dos matadouros”, disse. Representante do Jurídico da CM, Pablo Lopes, tratou da celeridade e viabilidade na resolução da situação. Em seguida, Marcos Vinícius apresentou, por meio de slide, a realidade atual do matadouro de Curaçá e a necessidade de adequação, diante das exigências impostas pelas fiscalizações. Anselmo Vital (Inema) ressaltou que os matadouros de Curaçá estão localizados em Áreas de Preservação Permanente (APP), próximos ao Rio São Francisco, sugerindo a viabilização, junto aos deputados, de emendas para a construção de um matadouro que atenda as demandas do Município. “Existem culpados sim, pois o problema vem se arrastando por várias gestões”, disse o Vereador Theodomiro Mendes. Valtércio Leal sugeriu que o abate fosse realizado por empresas privadas. Nesse momento, Gustavo Machado exemplificou os preços para se abater animais em Juazeiro e convidou os marchantes para visitarem o matadouro Campo Gado, bem como destacou que cederia uma câmara fria para o armazenamento das carcaças dos animais. “É inviável o abate em Juazeiro, pois as carnes vão ficar com preços altíssimos, mesmo que a Prefeitura arque com custo de transporte, como foi apresentada essa possibilidade”, disse o Vereador Beto. Os marchantes também discordaram da possibilidade. “Não temos como arcar com o transporte desses animais dos distritos para Juazeiro”, destacou João Ventura. O Técnico Agrícola Ticiano Félix também se posicionou contra a privatização de parte do serviço. “Precisamos pensar em uma maneira mais viável para construir o nosso matadouro, nem que seja com uma planta mais simples”, comentou. Wilson Costa, filho de marchante, da Fazenda Cerca de Pedra, lembrou que é preciso zelar pela sanidade do animal e da carne comercializada. “Multas serão aplicadas ao produtor que descumprir as determinações”. Januário Ferreira e Beto Araújo também defenderam a construção de um matadouro.

Ainda durante o Evento, os vereadores sugeriram a formação de uma comissão composta por marchantes, produtores rurais e membros dos poderes Executivo e Legislativo (representado por Flamber Feitosa), com o objetivo de realizar reunião no gabinete do Prefeito Carlinhos Brandão. A Audiência foi finalizada por volta das 14h. Em seguida, a Comissão seguiu para a Prefeitura, a qual foi recepcionada pelo Gestor Municipal. Na oportunidade, foi sugerida uma reunião com o Ministério Público para discutir um possível Termo de Ajuste de Conduta (TAC), de acordo com as condições do Município, até que o problema seja solucionado. “Nós entraremos em contato com o Ministério Público e vamos nos esforçar para que o nosso matadouro esteja o melhor possível e atenda a população”, complementou o Prefeito Carlinhos Brandão. “Se houver a necessidade de construção de um matadouro, a Câmara de Vereadores será favorável à aprovação de um financiamento”, disse Flamber. “Nessa reunião com o Ministério Público também há a necessidade de participação de representantes do Inema e da ADAB”, disse César Mendonça. O Encontro foi finalizado às 15h.

Informações da Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Curaçá


Um comentário:

  1. Venho deixar minha especial audiência!
    Sou de Itaporã, Mato Grosso do Sul, e visitei este blog como resultado do meu interesse em mídias locais de outros estados e países. Meu blog é modelo de um jornalismo baseado nessa forma de apuração.
    Veja o que escrevi sobre o assunto:
    http://victorteixeiraaborda.blogspot.com/2016/06/outro-preco-que-os-pecuaristas-nao.html

    ResponderExcluir