20 de jul de 2016

FEIRA DE CAPRINOS E OVINOS DE PINHÕES, JUAZEIRO-BA: OPORTUNIDADE DE BONS NEGÓCIOS NA CAPRINOVINOCULTURA

Sessenta produtores rurais deverão levar cerca de seiscentos animais para expor na feira que já faz parte do calendário de eventos agropecuários do Vale do São Francisco. Para José Wilson Chaves, mais conhecido como Chaveco, engenheiro agrônomo, coordenador do evento, é uma oportunidade para os criadores de caprinos o ovinos da região trocarem tecnologias, fazerem o melhoramento genético de seus rebanhos e também venderem seus animais por um preço mais justo. “Em um evento desses, o produtor consegue elevar em sessenta e às vezes até cem por cento o valor de um carneiro ou de um bode” destacou Chaveco.

Torneio leiteiro

Durante a feira de Pinhões os produtores também terão a oportunidade de participar do torneio leiteiro. As cabras inscritas serão ordenhadas duas vezes no sábado, dia 30, e uma vez no dia 31, domingo. Os proprietários das cabras que se destacarem receberão premiação em dinheiro.

Melhoramento genético

Para Rafael Sene, veterinário, supervisor do Programa Bioma Caatinga, que dá assistência técnica e gerencial a produtores de caprinos e ovinos no Distrito de Pinhões, a feira é estratégica por ficar próxima dos municípios de Curaçá e Uauá e isso possibilita uma participação maior de produtores de outras comunidades fora de Juazeiro. “Esse encontro de criadores agrega valor a cadeia produtiva. Porque além de acontecer uma troca de experiência, muitos deles vão vender sua genética e isso é importante para melhorar a qualidade dos animais de quem quer ganhar dinheiro com caprino e ovino” destacou Rafael.

Oportunidade de negócios

Segundo o Agente de Desenvolvimento Rural Sustentável, do Bioma Caatinga, José Fagundes, boa parte dos produtores de Pinhões, vai aproveitar a feira para colocar a venda animais para abate. “Para eles é uma vitrine muito boa já que esperamos uma visitação de cerca de três mil pessoas por dia” disse Fagundes.

A Feira de Caprinos e Ovinos de Pinhões é organizada pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Juazeiro (SEAPA) em parceria com a associação de Produtores Rurais do Distrito.
PROGRAMÇÃO
Sexta-feira – 29/07/2016
16h – Abertura do Parque para a chegada dos animais;
18h – Inscrições das cabras e esvaziamento dos úberes dos animais que irão participar do torneiro leiteiro;
19h – Abertura oficial da Feira;
19h30 – Apresentação cultural – Quadrilha junina (Escola Municipal Raimundo Clementino de Souza);
21h – Coquetel
21h às 00h – Show musical.

Sábado - 30/07/2016
8h – Abertura do parque para chegada dos animais;
8h15 – Abertura do parque ao público para visitação;
8h30 – Primeira ordenha do torneio leiteiro;
10h – Palestra sobre a reforma previdenciária e crédito rural (STRJ);
17h30 – Segunda ordenha do torneio leiteiro;
18h às 00h – Show musical

Domingo – 31/07/2016
8h – Seleção dos lotes das raças nativas e naturalizadas levando em consideração o sistema de criação, uniformidade dos animais, rusticidade e adaptabilidade;
8h30 – Terceira ordenha do torneio leiteiro;
10h – Premiação das categorias vencedoras;
12h – Encerramento.

Josenaldo Rodrigues – Coapseri/Programa Bioma Caatinga


Leia mais...

19 de jul de 2016

EXPEDIÇÃO NÃO CONSEGUE ENCONTRAR ARARINHA AVISTADA EM CURAÇÁ

O Instituto Chico Mendes para a Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e a SAVE Brasil promoveram expedição a Curaçá, para tentar localizar o exemplar de ararinha-azul que teria sido visto voando livre na região. A expedição contou ainda com a participação do Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga (Cemafauna Caatinga), além de pesquisadores brasileiros, estrangeiros e moradores locais. Oficialmente, a ave está extinta na natureza desde 2000.

“Durante dez dias, percorremos mais de mil quilômetros em diversos locais dos municípios baianos de Curaçá e Juazeiro em busca da ararinha-azul. Mesmo com a presença de renomados pesquisadores, incluindo o presidente da Parrots International, Mark L. Stafford, não conseguimos localizar o espécime”, afirmou o ornitólogo Paulo de Tarso Sambugaro Santos, do Cemafauna, que participou da expedição realizada entre os dias 29 de junho e 9 de julho.

O maior esforço foi empregado ao longo dos riachos Barra Grande e Melancia e também nas proximidades do local em que imagens da ararinha foram gravados por moradores. “As buscas foram reduzidas, mas uma voluntária do Projeto Ararinha na Natureza, continuará com os esforços junto aos moradores locais na tentativa de localizar a ave e obter o maior número de informações possíveis”, disse a ornitóloga Karlla Rios, também do Cemafauna.

Extinta na natureza

De acordo com a lista de espécies da fauna ameaçada, a ararinha-azul é considerada extinta na natureza desde o ano de 2000, devido, principalmente, à captura para o comércio ilegal e perda de habitat. Atualmente, existem cerca de 120 indivíduos da espécie em cativeiro, em projetos de reprodução no Catar, na Alemanha, na Suíça e no Brasil. Os pesquisadores estão otimistas e preveem as primeiras solturas de alguns indivíduos da espécie no ano de 2019.

Na última terça-feira (12) o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, assinou em Brasília-DF uma parceria com instituições nacionais e internacionais visando o fortalecimento de ações do projeto de reintrodução da ararinha-azul ao seu habitat, no sertão baiano.

A parceria viabilizará cerca de R$ 5 milhões para a construção do Centro de Reintrodução e Reprodução da Ararinha-Azul, em seu habitat primordial, ou seja, em Curaçá, na Bahia e será instalado na Fazenda Concórdia, com 2.380 hectares de área cercada, pertencente a uma das instituições parceiras, Lubara Breending Cener – Al Wabra (AWWP), do Catar.
Leia mais...

SAAE REALIZA PRÉ-CADASTRO DE LIGAÇÕES DE ÁGUA NO POÇO DA CATINGUEIRA

Mais uma comunidade será contemplada com o abastecimento de água potável pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Curaçá (SAAE). Na manhã do último sábado (16), os moradores da Fazenda Poço da Caatingueira tiveram seus pedidos de água cadastrados pela equipe administrativa da Autarquia, formada pelos auxiliares Luciano Lugori e Thiago Carvalho, que instalaram “escritório itinerante” na sede da associação local para facilitar os trabalhos. O Operador de Pequeno Sistema, João Paulo Sobral, técnico responsável pela localidade; e o presidente da Associação de Jovens do Poço da Caatingueira, Josivaldo dos Santos, também auxiliaram nas atividades. Além do registro dos novos clientes, diversas dúvidas dos participantes sobre os serviços do SAAE, especialmente sobre a extensão de rede, foram sanadas pelos funcionários durante o encontro.
Na oportunidade, o presidente da Associação falou sobre a expectativa e aflição dos moradores da região, que há anos reivindicam por água. “Enquanto liderança na comunidade e como presidente de associação, eu sei muito bem das dificuldades passamos por aqui. Depois de muitas cobranças e de muitas reuniões com o Prefeito e com o Diretor de SAAE, estamos prestes a ter um sonho se transformando em realidade. Aqui somos atendidos com carro-pipa, pois até então, mesmo morando a 4 km da beira do rio, ainda não temos água encanada em nas nossas casas. A ansiedade é muito grande”, comentou Josivaldo.
Para o agricultor Edson Rodrigues Barbosa, que sempre morou na localidade e presenciou toda luta, o momento é de satisfação e alegria. “Mais longe já esteve. Todos aqui estão felizes com aproximação da realização desse sonho, pois é uma antiga reivindicação. O nosso desejo é que a água chegue de forma suficiente e de maneira permanente. Observe que até o semblante das pessoas está mudado e a felicidade está estampada no rosto delas”, destacou o morador.
O SAAE, em parceria com a Prefeitura Municipal, tem estendido a rede de distribuição de água em todo município, beneficiando diversas comunidades que ainda não têm acesso à água potável. O próximo povoado a ser favorecido será a Fazenda Poço da Caatingueira, que fica distante, aproximadamente, 24 km da sede da Cidade. O SAAE fará o “reaproveitamento” de um antigo projeto da Companhia de Engenharia Hídrica e de Saneamento da Bahia (CERB), inclusive já foram instalados 1.970 metros de tubulação na localidade.
No encontro foram realizados 43 novos pedidos de água. Os moradores que não puderam comparecer ao “mutirão”, deverão fazer seus cadastros na Sede Administrativa do SAAE, localizada à Avenida Dr. Pedro dos Santos Torres, nº 50, no centro da Cidade, apresentando cópias do RG, do CPF e documento da terra/imóvel (caso possua).
Ascom SAAE Curaçá/BA


Leia mais...

45ª CIPM APREENDE FORAGIDO DA JUSTIÇA

Nesta segunda (18) no final da manhã - o efetivo do policiamento ostensivo de Pedra Branca - zona rural de Curaçá recebeu informações de que um homem teria sido vítima de incidente de tiro naquela localidade.

De acordo a PM - a vítima - Antônio Wilson Dias da Silva, 40 anos - deu entrada no posto de saúde daquela localidade, mas não poderia ser socorrido para outra unidade, uma vez que é foragido da justiça.

O Grupamento tático da unidade da cidade - fez buscas na região e o encontrou no hospital central de Curaçá - Antônio Wilson, após ser medicado foi preso e apresentado à autoridade judiciária para que sejam adotadas as medidas cautelares pertinentes.
Leia mais...

18 de jul de 2016

FLAMBINHO RECEBE APOIO DE LIDERANÇAS EM ENCONTRO COM AMIGOS

Lideranças políticas, comunitários e moradores de Curaçá estiveram em um encontro realizado neste domingo (16) com o pré-candidato a prefeito do município pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), Flamber Feitosa, o Flambinho.

No encontro, realizado pelos amigos de Flambinho, muitas lideranças declararam apoio a sua pré-campanha que tem como slogan "Se Curaçá é de todos, somos todos Curaçá. E por que não do interior?!"

O ex-vice-prefeito da cidade, Péricles Bahia, em seu discurso, declarou que apoiará a pré-candidatura de Flambinho a prefeito por acreditar que ele representa o bloco da oposição em Curaçá.
“Curaçá precisa de pessoas que façam a oposição e que sejam verdadeiramente valorizadas. Esse grupo vai sair vitorioso desta eleição. O povo está cansado de ver Curaçá na situação crítica em que se encontra. A partir de hoje eu sou soldado do pré-candidato Flambinho por entender que ele representa o verdadeiro bloco de oposição a atual gestão de Curaçá”, disse Péricles.

O pré-candidato Flambinho, após ouvir os depoimentos das lideranças políticas e dos pré-candidatos a vereador pelo grupo, ressaltou os anseios desse novo desafio e pontuou que construir um projeto político ouvindo as comunidades e a população de Curaçá é o seu objetivo principal.

“A minha trajetória começou muito cedo. Aos 18 anos eu fui eleito vereador pra representar o distrito de Riacho Seco, as comunidades do interior de Curaçá e a nossa juventude. Após dois mandatos como vereador, muitas perguntas, indagações e conversas, surgiu essa oportunidade de ser pré-candidato a prefeito do município. Nasci no interior, venho da força do interior e com a disposição da juventude. Temos que fortalecer os distritos para que a sede se fortaleça. O trabalho desse grupo está sendo pautado no diálogo com todas lideranças e comunidades para que possamos construir um projeto político diferente para Curaçá”,  afirmou Flambinho.

No próximo domingo, 24, será lançada oficialmente a pré-candidatura de Flambinho no distrito de Riacho Seco, às 15h30, no Apollo Club. O evento irá contar com a presença de deputados, vereadores e outras lideranças políticas da região.

Assessoria de Imprensa/PTB-Curaçá



Leia mais...

PRODUTORES DE MUNICÍPIOS DO NORTE DA BAHIA VÃO PARTICIPAR DE CLÍNICAS TECNOLÓGICAS

Durante toda essa semana, criadores de caprinos e ovinos dos municípios de Juazeiro, Casa Nova, Remanso, Curaçá e Uauá, participam de Clínicas Tecnológicas que serão realizadas nas comunidades atendidas pelo o Programa Bioma Caatinga.

Clínicas Tecnológicas são encontros onde os produtores se reúnem com profissionais especializados em determinada área para que estes apontem soluções para os problemas apresentados porque quem produz determinado produto. Neste caso específico, serão abordadas questões relativas a cadeia produtiva de caprinos e ovinos. A missão desses técnicos é levar ao homem do campo Soluções de Inovação e Tecnologia para tornar seus pequenos negócios mais competitivos.

Onde e Quando irão acontecer

Em Juazeiro as Clínicas Tecnológicas irão acontecer no dia 21 deste mês, próxima quinta-feira, nas comunidades de Pinhões, Abóbora, Fazenda Icó em Itamotinga, Juremal, Massaroca, Carnaíba do Sertão e Junco no Salitre. O encontro acontecerá das 9h da manhã ao meio dia. Qualquer criador de caprinos e ovinos pode participar.

Quatro temas serão abordados nos encontros: Cuidados nas primeiras horas do nascimento dos filhotes, como corte e cura do umbigo e amamentação do colostro; manejo sanitário - vacinação contra clostridiose; manejo alimentar – utilização de reforço de alimentação (creep-feeding) e mineralização do rebanho.

Em Casa Nova, Curaçá e Remanso, as Clínicas Tecnológicas serão realizadas também no dia 21 deste mês. Já em Uauá as Clínicas Tecnológicas acontecerão no dia 22. Nos mesmos dias em que acontecerão nas comunidades do interior, os encontros também serão realizados nas sedes dos municípios com Micros e Pequenos empresários que comercializam a carne e outros produtos do bode e do carneiro.

A Importância das Clínicas Tecnológicas

Para o gerente regional do Sebrae, Carlos Cointeiro, essas Clínicas Tecnológicas são importantes por se tratarem de momentos específicos onde os produtores rurais podem ter acesso a orientações tecnológicas, informações complementares e especializadas sobre como solucionar determinados problemas que eles vem enfrentando em suas propriedades.

“Muitas vezes o acúmulo de trabalho no dia-a-dia no campo, não permite que o produtor tenha acesso a informações técnicas. Então os momentos das clínicas são onde se encontra justamente esse tempo para que essas orientações tecnológicas possam ser repassadas aos criadores de uma forma pragmática, ou seja, que eles tenham a capacidade de absorver aquele conhecimento e que eles vislumbrem a possibilidade também de aplicar diretamente em suas propriedades e no seu dia-a-dia” destacou Carlos Cointeiro.

O Trabalho nas Comunidades

O Agente de Desenvolvimento Rural Sustentável Weliton Vieira, que atende o sub-território de Caldeirão do Almeida em Uauá, disse que está convidando os produtores da área onde ele trabalha para participarem do encontro. “Quero aproveitar para tentar fazê-los entender que, com o manejo adequado, é possível evitar perdas e melhorar o rebanho” frisou Weliton.

Werbesson Vieira, Agente de Desenvolvimento Rural Sustentável (ADRS) que trabalha na Lagoa do Pires, também em Uauá, vai fazer um dia de campo na comunidade para falar sobre os assuntos escolhidos pela coordenação do Programa Bioma Caatinga. O ADRS diz que os produtores daquela área aprovaram a ideia e vão participar em massa do encontro do dia 22. “Eles dizem que é importante porque leva a tecnologia para o campo. Como eles passam por dificuldades, principalmente em relação a seca, esperam que essas iniciativas continuem para ajudar eles a superar os problemas enfrentados na propriedade” destacou Werbesson.

Josenaldo Rodrigues - Coapseri/Programa Bioma Caatinga

Leia mais...

13 de jul de 2016

WALTER ARAÚJO: A PONTE INVISÍVEL DE PATAMUTÉ

O jornalista Luiz Humberto Prisco Viana (1932-2015), baiano de Caetité, terra do jurista, escritor e educador Anísio Teixeira, era deputado federal pela Aliança Renovadora Nacional (ARENA) da Bahia. Curaçá, município da região sanfranciscana, um dos seus redutos eleitorais. Prisco foi deputado federal por sete mandatos, quase três décadas na Câmara Federal.


Eleições de 1978. Prisco Viana obteve em Curaçá 2.889 votos, na esteira da liderança de Theodomiro Mendes da Silva, seu amigo, aliado político e líder incontestável no município, onde foi prefeito duas vezes (1973/1977 e 1983/1988).

Prisco Viana conseguiu encaixar uma emenda parlamentar no orçamento da União e liberou verba, a pedido de Theodomiro, para construção de uma ponte sobre o riacho Paredão, em Patamuté, histórico distrito curaçaense. E ficou aguardando a festa da inauguração.

Theodomiro mandou colocar pedras na travessia do riacho, na chegada de Patamuté, para evitar atoleiro. Mistura de retalhos disformes de pedras de mármore com cimento. Quando chovia, os carros tinham que esperar as águas baixarem. O motorista precisava mirar bem as pedras e, com muita perícia, acelerar para não ficar dentro do leito atolado ou ser engolido pelas barrentas águas do Paredão.

O tempo passou. E Prisco ficou esperando o convite de Theodomiro para a festa de inauguração da ponte.

Um dia, em Brasília, em seu gabinete no Anexo IV, da Câmara dos Deputados, Prisco Viana fulminou a pergunta a um desavisado filho de Patamuté que tinha ido visitá-lo:

- Ficou boa a ponte do Paredão?

O visitante embasbacou-se, surpreso, porque não entendeu a pergunta. Não sabia de ponte, nunca tinha visto ponte lá.

Prisco Viana explicou: verba liberada, ponte construída, Patamuté beneficiado, povo satisfeito e votos garantidos. O visitante continuou não entendendo. Era leigo demais em política.



WALTER ARAÚJO COSTA 
Curaçaense, advogado,escritor e jornalista.
Leia mais...

“VAMOS IMPLANTAR AÇÕES DE EMPREENDEDORISMO EM CURAÇÁ”, DECLAROU ANSELMO VITAL, PRÉ CANDIDATO A PREFEITO

O pré-candidato a prefeito de Curaçá, Anselmo Vital (PCdoB), em entrevista a uma rádio em Juazeiro nesta terça-feira, 12, falou sobre o novo desafio que abraça, pleiteando conduzir os destinos do município.

Anselmo Vital, que é engenheiro agrônomo e administrador de empresas, falou da sua origem de caatingueiro e da empatia que tem com o sertanejo, povo do qual faz parte e para o qual trabalha como profissional técnico em agricultura, com foco na produção do sequeiro, agricultura familiar e caprino-ovinocultura.

Anselmo lembrou das conquistas sociais e econômicas garantidas aos nordestinos e nordestinas nos últimos 13 anos e elencou alguns pontos importantes, como a conquista da terra, da água, da energia e do acesso as tecnologias.

“Precisamos reafirmar essas conquistas e avançar mais. Precisamos garantir que o homem e a mulher do campo tenham qualidade de vida e possam fixar-se no campo, seu lugar de origem. Para isso, temos que incentivar o empreendedorismo e implantar uma política de geração de renda no município. Faz parte do nosso projeto, a implantação de uma agência municipal que desenvolva ações empreendedoras em todos os segmentos, do setor de serviços ao beneficiamento do leite de cabra”, afirmou o pré- candidato.
Anselmo também lamentou o estado de endividamento atual do município e disse está consciente e preparado para o desafio que irá enfrentar, caso vença o pleito municipal em outubro de 2016.

“Temos um projeto consistente, elaborado a partir das comunidades, ouvindo os diversos segmentos. Não se trata de um projeto feito em gabinete, mas construído com a participação popular. Vamos desenvolver, em Curaçá, um governo transparente e participativo, olhando para as necessidades das pessoas, sobretudo aquelas que são desassistidas pelos poderes públicos. Curaçá é um município de enorme potencial e o nosso propósito é alavancar seu desenvolvimento pleno”, concluiu Anselmo Vital.


Preto no Branco
Leia mais...

ARARINHA-AZUL VOLTARÁ À NATUREZA EM 2019

O ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, assinou nesta terça (12), em Brasília, parceria com entidades nacionais e internacionais para fortalecer as ações do projeto de reintrodução da ararinha-azul (Cyanopsitta spixii) ao seu habitat, a caatinga baiana. A ave é considerada extinta na natureza desde 2000. Atualmente existem apenas 120 exemplares, distribuídos em criadouros particulares do Catar, Alemanha, Espanha e Brasil. A expectativa é que as primeiras solturas ocorram em 2019.

A parceria prevê, de imediato, o aporte de US$ 1,5 milhão (cerca de R$ 5 milhões) para a construção do Centro de Reintrodução e Reprodução da Ararinha-Azul, em Curaçá, na Bahia, habitat histórico da espécie. O centro será construído na Fazenda Concórdia, às margens do riacho Melancia, uma área cercada de 2.380 hectares, pertencente a uma das instituições parceiras, Lubara Breending Cener – Al Wabra (AWWP), do Catar.

A instalação permitirá a ampliação do manejo da espécie em cativeiro e a devolução da ararinha-azul ao seu habitat. Na última avaliação publicada pelo ministério, a área onde será construído o centro foi escolhida como de extrema importância para a preservação e prioritária para criação de uma unidade de conservação pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

“A dedicação de tantas pessoas, de diferentes origens, para chegarmos até aqui, simboliza a compreensão de nossa responsabilidade comum”, disse Sarney Filho. “A Caatinga, lar das ararinhas-azuis, e o Cerrado, savana mais biodiversa do mundo, precisam urgentemente desse reconhecimento, para reverter o processo de devastação de que têm sido objeto”, afirmou o ministro.

Comunidade e criadouros

Durante a cerimônia, Sarney Filho destacou dois aspectos, segundo ele, fundamentais no combate à extinção da ararinha-azul. “Primeiramente, o envolvimento da comunidade, a visão de que as pessoas fazem parte do meio ambiente e são absolutamente necessárias para a sua preservação. Se bem informadas e amparadas em suas necessidades, elas se tornam protetoras ardorosas da natureza que as cerca”, disse.

Em segundo lugar, ele citou a importância dos criatórios particulares para a proteção das espécies ameaçadas. “Os criadouros que participam deste trabalho estão salvando as ararinhas-azuis. Temos que aprender com esta experiência e multiplicá-la”, enfatizou o ministro.

O representante do criadouro da Fazenda Cachoeira, Marcus Vinícius Romero Marques, presente à solenidade, ressaltou o objetivo final de devolução das aves à natureza. "Já trabalhamos com outras espécies, como a arara-azul-de-lear (Anodorhynchus lear), e estamos muito felizes em ter mais essa missão", disse.

O presidente do ICMBio, Rômulo Mello, órgão que também participa dos esforços de recuperação da ararinha-azul, disse que o Instituto já trabalha na identificação do local para a implantação da UC que permitirá a soltura das ararinhas daqui a três anos com segurança. "Estamos juntos nesse projeto", reforçou ele.

O projeto

O projeto do governo brasileiro, iniciado há 15 anos, tem o compromisso de devolver à Caatinga as ararinhas-azuis. Atualmente conta com o apoio das seguintes instituições: Associação para Conservação de Papagaios em Extinção (ACTP), da Alemanha; Lubara Breeding Center – Al Wabra (AWWP), do Catar; Parrots International (PI), dos Estados Unidos; criadouro Fazenda Cachoeira, do Brasil; Jurong Bird Park, de Singapura.

As aves têm se reproduzido bem em cativeiro e o trabalho avança para a reintrodução da espécie em seu ambiente natural. Para que isso aconteça, os esforços estão voltados para a criação de pelo menos uma UC federal na área de soltura, de 40 mil hectares, em um sistema agroecológico que visa melhorar as atividades produtivas, as condições de vida das comunidades rurais, regenerar a mata ciliar e a vegetação da caatinga adjacente. 

Além disso, a criação da unidade de conservação favorecerá a proteção da população reintroduzida, os trabalhos de educação ambiental e a pesquisa científica. A área envolve o rio Curaçá, conhecido como Barra Grande, e outros riachos, como o Melancia, onde as últimas ararinhas foram avistadas na natureza.

Combate às ameaças

De acordo com técnicos da Secretaria de Biodiversidade e Florestas do MMA, o sucesso do projeto depende, também, do engajamento da comunidade local para a proteção da espécie, assim como de fatores como a restauração do habitat nativo, com incremento da oferta de alimento.

Os especialistas que integram o grupo assessor do Plano de Ação Nacional para a Conservação da Ararinha-Azul (PAN Ararinha-azul) alertam para a necessidade de se combater as ameaças para aumentar o sucesso da reintrodução. 

Isso significa aumentar a qualidade do habitat, diminuir a quantidade de predadores, reduzir os perigos do tráfico ilegal de animais silvestres, o risco de uso do solo por mineradoras e mitigar os riscos das linhas de transmissão, dentre outros.

As ações do Plano de Ação da Ararinha-azul contam com o apoio da Vale, Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), Sociedade para a Conservação das Aves do Brasil (Save Brasil), ICMBio e de todos os mantenedores da espécie. Seu escopo envolve políticas públicas, pesquisa científica e educação ambiental voltadas para conservar a Caatinga.

Notícia

No mês passado, uma notícia mobilizou gestores e pesquisadores que atuam no projeto de reintrodução da ararinha-azul. Segundo moradores de Curaçá, uma ararinha solitária teria sido visto voando livremente na região. Foi feito até um vídeo por meio de celular.

Para checar a informação, o ICMBio promoveu expedição ao local. Além de não localizar a suposta ararinha-azul, que poderia ter fugido de algum cativeiro, os pesquisadores disseram ser impossível comprovar, apenas pela observação do vídeo, que trata-se realmente de um exemplar da espécie.

A expedição, contudo, obteve ganhos, como o reforço do vínculo com a comunidade. No contato com as pessoas da zona rural onde a ave teria aparecido, a equipe de campo acertou que as duas partes trocarão informações de imediato, caso surjam novidades.

O Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga (CemaFauna), grupo de pesquisa criado pela Universidade do Vale do São Francisco (Univasf), que atua como parceiro do ICMBio há vários anos, também enviou equipe ao local.

Comunicação ICMBio - (61) 2028-9280 - com informações da Ascom/MMA (Luciene de Assis e Letícia Verdi) - (61) 2028-1227
Leia mais...

12 de jul de 2016

CONFIRA QUANTO CUSTA EM MÉDIA O KG DA CARNE DE CAPRINOS E OVINOS NOS MUNICÍPIOS DE UAUÁ, CURAÇÁ, JUAZEIRO, CASA NOVA E REMANSO.

Para o conhecimento de todos, a dinâmica dos Negócios Caprinos e Ovinos nos Municípios de atuação do Programa Bioma Caatinga (Juazeiro, Casa Nova, Remanso, Uauá e Curaçá). As informações coletadas referem-se à cotação de preço na semana de 04 a 08 de Julho de 2016.

Cotação de Preços (R$)









Município
Compra ao produtor (R$/Kg)
 Venda ao Consumidor (R$/Kg)
(R$/arroba) Caprino/Ovino
(R$/arroba) Bovino (Faeb/Senar)
Uauá
R$ 11,50
R$ 14,50
R$ 172,50
-
Curaçá
R$ 12,50
R$ 14,50
R$ 187,50
-
Remanso
R$ 10,00
R$ 13,50
R$ 150,00
-
Casa Nova
R$ 12,00
R$ 15,00
R$ 180,00
-
Juazeiro
R$ 13,50
R$ 18,95
R$ 202,50
-
Média de preço
R$ 11,90
R$ 15,29
R$ 178,50
R$ 147,00














Fonte preços caprinos e ovinos: Programa Bioma Caatinga-Sebrae/Banco do Brasil
Obs.: O valor da arroba do caprino/ovino é calculado a partir do preço do Kg do animal comprado no produtor.

TOTAL DE ANIMAIS ABATIDOS NO ABATEDOURO CAMPO DO GADO (ANTIGO ABATAL) EM JUAZEIRO DE 04 A 08 DE JULHO/16
- CAPRINOS: 149
- OVINOS: 374










Valores cobrados pelo o abatedouro Campo do Gado (Juazeiro) para abate de caprinos e ovinos:









1.   Preço do Abate: R$ 20,00 por animal. Valor pago pelo o dono do animal (abate inspecionado por um veterinário)
2.   Preço do Frete Juazeiro/Petrolina Transporte do Abatedouro: R$ 5,00 por animal abatido levado do abatedouro ao estabelecimento comercial.
3.   Pele de Caprino: R$ 3,00 (valor pago por unidade ao dono do animal)
4.   Pele de Ovino: R$ 4,00 (valor pago por unidade ao dono do animal)
5.   Vísceras (Caprino/Ovino): R$ 5,00 (valor pago ao dono do animal)


Leia mais...

APÓS DESISTÊNCIA DE PÉRICLES, VEREADOR FLAMBER LANÇA PRÉ-CANDIDATURA A PREFEITO

Depois da desistência de Péricles, o bloco de oposição tem novo pré-candidato a prefeito de Curaçá. Agora, quem se dispõe ao executivo é o vereador Flamber Robério, popular Flambinho.
Vereador da cidade por dois mandatos e  natural do distrito de Riacho Seco, Flambinho integra o grupo de oposição ao gestor Carlinhos Brandão desde sua posse e conta com o apoio de várias lideranças da cidade como o ex-vice-prefeito de Curaçá, Péricles Bahia.
Sobre os motivos que levaram ao lançamento da sua pré-candidatura, Flambinho ressaltou em entrevista ao repórter Geraldo José: “Essa minha pré-candidatura nasce no interior do município, de pessoas que argumentaram porque não lançar um candidato do interior? Diversas pessoas me motivaram. Durante os três anos e sete meses de mandato eu fiz uma oposição responsável e obtive o apoio de vários outros vereadores e lideranças da cidade, inclusive do ex-vice-prefeito Péricles Bahia”.
O pré-candidato, afirmou que está preparado, caso seja eleito, para enfrentar os problemas financeiros por qual passa a cidade. “Eu mais do que qualquer outro pré-candidato sabe o que está acontecendo em Curaçá. Minha vida é de batalhas, de uma família do interior. Eu sempre enfrentei batalhas. A falta de gestão levou o município a situação em que se encontra. A cidade está um caos. Mas o nosso diferencial é que nós ficamos fiscalizando as contas do município durante mais de três anos. Eu vi tudo de perto e diante disso adquiri preparo para resolver todos os problemas financeiros”, frisou.
Flambinho, ao final da entrevista, pontuou como está sendo a recepção da sua pré-candidatura no município. “Tenho sido muito bem recebido em todas as comunidades e quero dizer que eu estou aberto a conversar com todas as lideranças para construirmos um projeto novo para Curaçá”, finalizou.
Por  Alinne Torres


Leia mais...

PM DE CURAÇÁ CONTA COM NOVA VIATURA E RIACHO SECO DEVE RECEBER OUTRA EXCLUSIVA PARA O DISTRITO

Em cerimônia nesta segunda-feira (11), em Juazeiro, o deputado estadual Eduardo Salles acompanhou o governador Rui Costa, o secretário estadual de Segurança Pública, Maurício Barbosa, e comandante-geral da Polícia Militar, coronel Anselmo Brandão, no ato de entrega de uma viatura da PM para Curaçá.

“Eu e o prefeito Carlinhos Brandão, que não pôde comparecer hoje em função da legislação eleitoral, solicitamos, em audiência com o secretário Maurício Barbosa, a renovação da frota de Curaçá”, lembrou Eduardo Salles.

“A segurança pública hoje é uma das maiores preocupações da população. Eu, como representante político de Curaçá, vou procurar sempre levar equipamentos e ações que permitam à população mais tranquilidade”, garantiu o deputado estadual.

Eduardo Salles aproveitou a cerimônia para solicitar ao coronel Anselmo Brandão uma viatura exclusiva para o distrito de Riacho Seco. “O local tem característica de município. Há dinheiro correndo na economia, em função do trabalho dos agricultores irrigados, faz divisa com Pernambuco, as estradas não são asfaltadas e está muito distante da sede de Curaçá”, justificou.

“Essa é uma demanda da população de Riacho Seco e uma solicitação que o prefeito, vereadores e pré-candidatos a vereadores da região me pediram para fazer ao coronel Anselmo Brandão”, explicou o parlamentar.

“O comandante-geral nasceu em Juazeiro e sabe bem as demandas desta região. Ele me garantiu que em breve o distrito de Riacho Seco vai ganhar uma viatura para atuar exclusivamente no local”, comemorou Eduardo Salles.

INVESTIMENTO


Eduardo Salles participou também da inauguração da nova sede da 76ª CIPM (Companhia Independente de Polícia Militar), que será inserida no projeto de construção do DISEP (Distrito Integrado de Segurança Pública), equipamento que reúne em um só lugar as polícias Civil e Militar, além da entrega de 17 viaturas para oito municípios, entre eles Juazeiro, Curaçá, Sento Sé, Sobradinho, Casa Nova, Pilão Arcado, Remanso e Campo Alegre de Lourdes.


ASCOM – Deputado Estadual Eduardo Salles

Leia mais...

LUGORI: PARADOXOS DA MUSICALIDADE SERTANEJA E DO VERDADEIRO HOMENAGEADO NA “FESTA DOS VAQUEIROS” DE CURAÇÁ

Em 2007, o Instituto Opara de Visão Ecosófica (INOVE) produziu, com roteiro e direção de Josemar Martins Pinzoh e Luiz Sérgio Ramos, um vídeo-debate que tematizou a “cultura da fuleragem”. Intitulado de “O Estado da Arte da Fuleragem”, o documentário incita a discussão sobre o excesso de utilização do recurso do “duplo sentido” em várias músicas que foram massificadas pela mídia e pelos paredões. Quase dez anos depois, pouca coisa mudou. Aliás, com relação aos paredões de som, eles se tornaram gigantescos e muito mais potentes, eles estão mais frequentes no cotidiano das cidades, impondo a vontade de seus donos, desrespeitando a coletividade e segmentando opiniões do público em geral.
A “tradicional” Festa dos Vaqueiros de Curaçá tem se tornado um “corpo sem alma” e um “palco de divergências”. A cada ano que se passa, a festa está perdendo o brilho, e seu maior “astro” agora é apenas um mero figurante numa cidade batizada como a “capital dos vaqueiros”, inclusive esse é o chavão no pórtico da cidade. O desaparecimento do vaqueiro tem sido gradual até mesmo nos cartazes. Se observarmos bem, a imagem que antes ocupava a maior parte do material de divulgação, hoje perdeu espaço para as demais “atrações”, tornando-se apenas uma marca d’água nos anúncios e uma desculpa para a realização dos festejos que levam o seu nome, mas que na realidade há muito tempo não vos pertence mais.

A 63ª edição do evento rendeu muitas críticas nas redes sociais e até hoje ainda pairam pelas ruas da cidade comentários sobre o “fracasso” da festa. Bem verdade que os tempos são outros e que a tal arenga de que “gosto não se discute” ainda é repetido incessantemente. Gosto se discute sim, tem que se respeitar, mas nem tudo deve descer goela abaixo, quer dizer, ouvido adentro. Infelizmente o gosto (ou o erro) de ocupar o “circuito da festa” com “paredões” tem se repetido ano após ano. Será que os organizadores já se perguntaram se os vaqueiros “gostam” e “concordam” com isso? Será que as bandas tocam o que os vaqueiros querem ouvir? Será que o vaqueiro pode pagar pelo ingresso para ter acesso à própria festa? Sei lá...até já imagino o que vão dizer: “a festa foi vendida”. E de quem é a culpa? Só sei que não é dos vaqueiros. 

Não sei se as pessoas perceberam, mas durante as festas um grupo de “forro pé de serra” tocou – fora dos holofotes – músicas mais tradicionais e alheias aos ritmos mais eletrizados (desses tempos pós-modernos) que disputavam a “virilidade do som” nos paredões espalhados pelas ruas numa verdadeira confusão acústica. A banda boavistana animou não só os organizadores, mas também os adeptos da “boa música” que ainda acreditam que iniciativas simples como estas possam tomar maiores proporções, pois é intolerável que eventos como a Festa dos Vaqueiros torrem dinheiro e onerem os cofres públicos custeando “grandes atrações” em detrimento do verdadeiro sentido da festa e de seu homenageado.

É terminantemente proibido “vender” a tradicional festa a terceiros para lucrarem à custa dos “homens da alma de couro”. Se o lucro for o objetivo, então inventem outro evento, numa outra data e com outro nome. Porque usar o nome de vaqueiros – um dos nossos maiores símbolos – é no mínimo indecoroso. É duma falta de respeito sem tamanho, que exige de nós curaçaenses que prezam pela sua cultura, um aboio coletivo altissonante que emita profundamente a nossa lamúria. A festa dos vaqueiros tem que ser feita para os vaqueiros, afinal de contas, eles são os verdadeiros donos. Os outros é que são os convidados e não o contrário.

Discutir o resgate da Festa dos Vaqueiros é imprescindível. Estamos próximos de mais um pleito eleitoral e nós eleitores não podemos perder a oportunidade de cobrar dos candidatos a inclusão dessa pauta em seus programas de governo. É preciso criar uma legislação que organize a realização desse e dos demais eventos culturais de Curaçá. Criar uma política de resgate, proteção e difusão do patrimônio artístico, cultural e histórico de Curaçá deve ser uma das prioridades de todo e qualquer governo. Precisamos preservar a nossa memória, pois, como afirma o sociólogo Octávio Ianni, “a memória é o segredo da história”. 

Por Luciano Lugori
Professor, Jornalista e Curaçálico
Leia mais...