21 de mai de 2016

PROCURADOR DA CÂMARA DE CURAÇÁ REBATE NOTA DE PREFEITO CARLINHOS E TECE DURAS CRÍTICAS AO GESTOR

O prefeito de Curaçá-BA Carlinhos Brandão enviou nota à imprensa se defendendo da acusação de apropriação ilegal de recursos da Caixa Econômica relativos a consignados de servidores do município na ordem de R$ 2 milhões, mas após a leitura da nota no programa Nossa Voz Meio-dia da Rádio Boa Vista FM nesta quarta (18) a procuradoria da Câmara de Vereadores de Curaçá se pronunciou rebatendo a nota e ao mesmo tempo fazendo duras críticas ao prefeito.

“Veja só, a Câmara de Curaçá reiteradas vezes encaminhou requerimentos pedindo ao município que fornecesse informações com relação a esses empréstimos consignados da Caixa Econômica que nunca foram atendidos então o vereador Juninho do esporte encaminhou diretamente à Caixa Econômica um documento solicitando informações sobre isso e a Caixa respondeu que se tratava de onze meses em aberto no valor total de R$ 2 milhões e 500 mil reais, e aí a gente vê uma nota onde o prefeito fala que optou pagar débitos anteriores e priorizar o salário dos funcionários. A gente fica triste em vêr o poder público tentar usar os meios de comunicação pra poder iludir as pessoas, os habitantes dessa, dessa cidade que é tão sofrida. Se ele priorizou os salários como ele explica seis meses de salário atrasado dos contratados? E se ele priorizou pagar os débitos anteriores e disse que deixou de fazer repasses raríssimas vezes, como se totaliza onze meses de... de não pagamento e ainda esse valor todo de R$ 2 milhões e 500 mil reais ?” questionou.

O procurador Pablo Lopes ainda disse que o vereador Júnior do esporte vai encaminhar nota oficial dele explicando todo procedimento e também documentos da Caixa com valores em aberto e proposta de pagamento que o município fez.

“Veja só inclusive essas denúncias que não é só referente aos empréstimos consignados, desde 2013 a câmara de vereadores de Curaçá tem apresentado inúmeras de irregularidades da gestão municipal, denunciaram a questão do desvio de recurso da merenda escolar, de desvio de recurso do transporte escolar, a questão do programa leite fome zero onde sumiram quase 58 mil litros de leite que era destinado a pessoas carentes do município, denunciaram a questão de renúncia de receita, denunciaram o dinheiro do Fundeb -60 que é destinado ao pagamento dos professores que também ninguém sabe explicar onde esse dinheiro foi aplicado, então o município desde 2013 tem sido apresentado inúmeras denúncias por parte da câmara municipal ao ministério público federal, e agora a gente começa a vêr que o ministério público federal está em ação, hoje viraram inquéritos civís e indo a Caixa Econômica Federal acaba de virar processo desde que o juíz aceite a denúncia feita pelo ministério público” acrescentou.

O procurador lembrou que a Câmara abriu CPI referente ao leite fome zero, e o prefeito, a secretária de ação social, uma funcionária e o dono de um laticínio foram indiciados, atualmente é inquérito civil no ministério público federal.

Após as declarações do Procurador Pablo o prefeito Carlinhos não se manifestou e nem sua assessoria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário