22 de jun de 2013

EX-SECRETÁRIA DE SAÚDE MARIA DE FÁTIMA ARAÚJO LEITE ENVIA NOTA SOBRE SUA SAÍDA DO GOVERNO

Com o título "Repúdio e Esclarecimento", a ex-secretária municipal de saúde, Maria de Fátima Araújo Leite, nos enviou nota em que trata da sua exoneração do atual Governo Municipal. Confira na íntegra:

"REPÚDIO E ESCLARECIMENTO

Venho me posicionar veementemente contra os excessos de autoridade e truculência, cometidos pelo gestor Carlos Luiz Brandão Leite durante as atividades da Eco Cidadania ocorrida em Poço de Fora no dia 07 de junho de 2013, flagrados pelo público ali presente.

Tais excessos demonstram claramente o abuso de poder e hostilidade por parte da atual gestão municipal, que escolheu reprimir ao invés de dialogar e esclarecer uma situação que se fez constrangedora a qual fui brutalmente submetida, pelo fato da minha recusa em compactuar com ações inescrupulosas na liberação do Fundo Municipal de Saúde sem apresentação dos processos legais. Além de inúmeras outras formas de agressão verbal, culminando com uma demissão, sem apresentação sequer de um motivo aparente que a justificasse, desconsiderando qualquer forma de comunicação da mesma, permitindo assim que eu trabalhasse, uma vez que já estava exonerada. Os impactos desse ato têm sido amplamente discutidos nas redes sociais com críticas e pitadas de sarcasmo, inclusive com afirmações inverídicas de que eu teria sido demitida por telefone; quando, na verdade, fui informada quatro dias depois sobre esse ato oficial do gestor municipal por terceiros que, navegando no Portal da Transparência Municipal, localizaram o Decreto de Exoneração 0069/2013 de 12/06/13.

Aproveito também a oportunidade para agradecer as manifestações de apoio e respeito à minha pessoa e à profissional que sempre fui além de reafirmar o meu desprezo quanto aos fatos ocorridos.

É inadmissível que um representante eleito por prometer respeitar o povo, a sua dignidade e as suas necessidades, atue de maneira contrária aos compromissos de campanha firmados nos quatro cantos do município, onde também estive, e enfrentei com todas as forças acreditando ser digno da minha confiança e meu trabalho, e que em merecimento aceitei fazer parte da sua equipe julgando seriedade num Plano de Governo que, por várias vezes, foi simetricamente discutido e repensado.
Por isso, em público, gostaria de externar minha indignação a respeito da indiferença e das declarações inverídicas e grosseiras do prefeito o Exmº Sr. Carlos Luiz Brandão Leite, e dizer que embora, um dia, tenha acreditado nas suas boas intenções, manifesto, portanto, a minha insatisfação diante do ocorrido e das cenas impróprias que infligem os bastidores da política em Curaçá, e que podem acabar fazendo mais vítimas de golpes profissionais escusos, que podem ser até irreversíveis.

Lamento profundamente, portanto, o nível das atitudes ocorrido nos últimos dias. Devemos considerar que uma cidade desejosa de progresso, não deva ter esse tratamento.
Questiono também se nesse governo os fins passaram, infelizmente, a justificar os meios. A receita já é bastante conhecida. Todos nós sabemos que no Brasil todos os dias são machucados a honra e a dignidade de centenas de pessoas e, ao que vejo o município de Curaçá não está fugindo à regra; mas a verdade não pode e não deve ser secundária. Ela tem que se sobrepor a interesses gananciosos.

Gostaria de manifestar meu repúdio sobre o acima citado e esclarecer que possuo uma história no município de Curaçá de muitos anos e tenho elementos seguros que conduzem as minhas atitudes como servidora de saúde pública e que me impulsionam sempre no caminho da honestidade; valores inabaláveis na minha existência.

Na história da saúde em Curaçá, sempre dei respostas condizentes às necessidades do povo. Assim sendo, sempre realizei um trabalho de responsabilidade e compromisso com a comunidade.
Quero esclarecer, portanto, que sou mentora de um Plano de Trabalho exclusivo pra Secretaria de Saúde de Curaçá, que começou a tomar corpo em novembro de 2012, quando da mobilização para o cargo, e passou a ganhar ares de uma gestão democrática nos contatos com bons profissionais para fazerem parte de um processo o qual tinha certeza, seria diferente, procurando abranger a todos os setores da saúde, onde estivesse a carente população de Curaçá, mantendo para isso uma estreita relação com o Ministério.

E assim a gestão em saúde começou a desenvolver projetos tais como a UPA (Unidade de Pronto Atendimento); NASF I; quatro Projetos de Implantação de Saúde Bucal, além de várias Adesões junto ao Ministério da Saúde e providências de suma importância no desenvolvimento das ações na saúde do município. Mas percebo que, de forma invasiva, o governo vem sendo norteado de maneira inesperada e assustadora.

Enfim, de modo particular, procurei nesta gestão realizar um trabalho focado nas necessidades que o município apresenta; e se houve falhas na gestão, atraso ou até mesmo a falta de distribuição de alguns medicamentos, não foi por ausência de planejamento, atendimento ou por descaso; quero esclarecer que não medi esforços para que a população não saísse prejudicada nos seus direitos e tivesse a sua dignidade seguramente garantida.

Desde o início da gestão encaminhei todas as solicitações dentro do prazo estabelecido, para que o tratamento das pessoas não fosse impedido pelos efeitos da burocracia tartaruga que assola o nosso município, mas infelizmente, até esta data (quase seis meses de gestão) não foi realizado o processo licitatório pelos órgãos responsáveis ( secretário de governo e setor de licitação), e enquanto isso, as ações da Secretaria de Saúde que dependem da autorização de outras instâncias, são dirimidas e desconsideradas num processo de equações onde um mais um é sempre mais que dois.
Falo, não porque fui exonerada, pois sabemos que os cargos não nos pertencem e podem até ser passageiros quando eles não são corretamente entendidos; mesmo porque a população de Curaçá merece estes e outros esclarecimentos. Mas a minha ética profissional não permite que barbarize, mesmo assim, todos já podem perceber um silêncio que se rompe numa onda avassaladora, contraída por força de quem acha que tudo pode; inclusive, até não cumprir regras de contabilidade expressas em lei, ou até pelos motivos implícitos de atos como esse, que me foram atingidos covardemente, os quais já estão despertando especulações em torno do que se quer parecer perfeito.

Mas como tudo tem o seu lado bom, fui resgatada, sim, do insustentável peso da aparência para ser reposicionada na minha insustentável leveza do ser, em paz, com a minha consciência e a minha família, bênçãos da minha vida.

Enquanto isso, a “boa gestão” do dinheiro público e da “dignidade” segue, sob a enorme capa do falso moralismo.

Um pedido: Munícipes, fiquemos em alerta. Olhemos então o futuro com esperança e tentemos lutar contra ventos e marés turbulentas que, certamente virão.
Sem mais, peço as bênçãos de Deus, sobre todas as pessoas, e de modo especial aos eleitores que exerceram a sua cidadania em 07 de outubro elegendo, através do voto limpo, aqueles que seriam os seus legítimos representantes.


Maria de Fátima de Araújo Leite

Curaçá, 21 de junho de 2013."

Foto do Google

7 comentários:

  1. muito bem, fatima estou com você e naõ abro espero que a justiça seja feita, e ele seja realmente punido. beijos

    ResponderExcluir
  2. Faço suas as minhas palavras Srª, pois sei o quanto foi competente e honesta quanto ao seu trabalho, sua simplicidade e delicadeza sempre foram suas armas para conquistar todos a quem lhe dirigia a palavra, tenha certeza de que Curaçá perdeu uma grande servidora... Parabéns pelas palavras e por sua coragem de aqui se expor!

    ResponderExcluir
  3. Ufa! Li. Entendi. Erros desnecessários. Humilhar um ser humano, ainda por cima, tão próximo, e os outros certamente serão apurados. É isso aí, D. Fátima. Ninguém tem o direito de tratar ninguém assim; a exposição foi necessária. Já tava pensando que a senhora ia deixar as pessoas lhe acabarem. Parabéns pela coragem! E ao prefeito, por que não ouve as pessoas de bem? Cuidado de quem o Sr. se cerca... Existem pessoas direitas à sua volta.

    ResponderExcluir
  4. nao trabalha dança.quando deixa trabalho a desejar aconteçe isso...

    ResponderExcluir
  5. "Impressionante essa frase que não trabalha dança"
    pois bem, se a secretaria de saúde não trabalhou foi exonerada. O que é que estar faltando para o secretario de infraestrutura pegar as malas dele também!!! será que é por causa do coronel Empresario renomado que não deixa? sei não aí tem...porque toda obra que esse camarada realizou foram de uma incompetência absurda.... GAMBIARRA ATRAZ DE GAMBIARRA TODAS MAL FEITAS

    ResponderExcluir
  6. AI É DE QUEM, PUXA SACO DEMAIS, QUE É SÓ O QUE TÉM EM NOSSA CURAÇA, PAREM DE PUXAR SACO E DEIXEM PRA LÁ ESTE BUNDA MOLE, MANDADO POR MULHER,

    ResponderExcluir
  7. NÃO TRABALHA CAI FORA!!!!!!!

    ResponderExcluir