27 de abr de 2015

GRUPO ‘CAPOEIRA REDIMIDOS’ DE CURAÇÁ COMEMORA QUATRO ANOS DE EXISTÊNCIA

O Grupo de Capoeira ‘Redimidos’, do Município de Curaçá, completou esse mês, quatro anos de existência. A comemoração aconteceu entre os dias 25 e 26, com vasta programação cultural, que incluiu espetáculos, apresentações de dança e mudança de corda dos capoeiristas. O apoio foi do Governo Municipal, por meio da Secretaria de Educação, Cultura e Desporto, da Secretaria de Ação Social e da Secretaria de Saúde.




A abertura das atividades se deu no dia 25, no Teatro Raul Coelho, reunindo dezenas de pessoas as quais assistiram diversas apresentações e prestigiaram exposição de produtos artesanais confeccionados pelo Grupo Redimidos. O grupo ‘Sorriso Negro’, coordenado por Jane Oliveira e Wilson Martins, apresentou uma dança e em seguida o grupo afro percussivo ‘Rua de Baixo – RDB’ mostrou o seu trabalho, proporcionando animação ao público presente. Após, foi encenada a peça Zumbi dos Palmares, texto e direção de Sérgio Ramos, a qual retratou o tráfico de negros para o Brasil, citando Zumbi dos Palmares como referência na luta contra a escravidão e o surgimento da capoeira (manifestação brasileira de raízes africanas) como forma de defesa dos escravos, os quais lutavam contra seus opressores. Ainda durante a encenação, foi contada a história do Grupo de Capoeira Redimidos, fundado pelo capoeirista Adeilson Alves (coordenador do grupo), que foi homenageado também por meio de uma música composta por Leovan Soares. “Esse grupo começou com apenas oito pessoas, mas hoje tem 160 membros. ‘Redimidos’ é uma expressão bíblica que significa resgatados e isso é o que vemos aqui; muitos jovens que abandonaram os prazeres do mundo para se dedicarem à capoeira. Estou muito emocionado, não tenho nem palavras, só posso agradecer por tudo”, destacou Adeilson. Houve ainda participação do coral G-DECC, que entoou o hino da África e a canção Berimbau, de Vinícius de Moraes, além de apresentação dos músicos Adailson Sena, Fernando Ferreira e Ademir Santana. A última apresentação foi de maculelê. Também marcaram presença no Evento: a Secretária de Educação, Valdelina Aquino, a qual frisou a inserção da capoeira inicialmente no Colégio Municipal Scipião Torres; Marcelo Torres (graduado em Capoeira e membro do Redimidos); o Diretor de Cultura, Sérgio Ramos e o Mestre Nino, da Associação de Capoeira Filhos do Sol, de Barbalha-CE, a qual o Grupo Redimidos é filiado.

Já no dia 26 (domingo), a comemoração continuou na Quadra Poliesportiva da Escola Municipal Chapeuzinho Vermelho, onde aconteceu a graduação dos capoeiristas, marcada pela troca de cordas. O momento foi conduzido por Elieusina Rodrigues, assistente da Secretaria da Ação Social e Cidadania (SMASC) e membro do grupo Redimidos, a qual sintetizou a trajetória da capoeira em Curaçá.  Marcaram presença formando a mesa e destaques: a Secretária da SMASC, Juçaria Brandão, intitulada “Madrinha da Capoeira Redimidos”, desejou boas-vindas aos visitantes, evidenciou o trabalho do Mestre Adeilson Alves e de Marcelo Torres; Ana Paula Fernandes, Diretora da EMCV, se mostrou feliz com mais um evento realizado naquele espaço e também parabenizou os organizadores; o Vereador Deroaldo Júnior que saudou os presentes e elogio a iniciativa; o Diretor do SAAE, Jean Marcelo, que emocionado fez uma resumo de sua vida relacionando com a existência da capoeira em Curaçá; Mestre Nino e Filhos do Sol, Mestre Edson Soares, Capoeira Araúna (Curaçá) e Mestrando Júnior, Professor Pássaro Preto (Barra do Mendes-BA), Mestre Pitbull do Grupo Internacional de Capoeira (Jacobina-BA), Instrutor Russo, Monitor Cruel e Grupo de Capoeira Opará (Juazeiro-BA), Mestre Diamante Negro (Juazeiro do Norte-CE), Mestre Carlinhos Camará (Crato-CE), Professor Alex e Monitora Elzeni e Capoeira Zumbi (Petrolina-PE).

Houve apresentação de orquestra de berimbal, apresentação de uma canção composta e cantada pelo Mestre Adeilson, e, por fim, a tradicional roda de capoeira com o cerimonial de troca de cordões (graduação). O Evento terminou pela tarde sendo acompanhado por mais de 300 pessoas. A avaliação dos apoiadores e organizadores foi ótima, conforme consulta feita a boa parte deles. De acordo com Adeilson, o próximo evento dessa natureza em Curaçá deve ser uma Conferência de Capoeira.

Informações da Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Curaçá 


Nenhum comentário:

Postar um comentário